Acontece que hoje me cansei
De ser eu mesmo
Cansei-me da minha cara…
Dos meus dedos…
Dos meus pêlos
Dos meus olhos…
Acontece que hoje me cansei
De pensar que sou eu
De viver para mim
De ser eu…
Cansei-me dos meus desejos
Dos meus sentimentos
Acontece que hoje me cansei
De viver…
Cansei-me de mostrar quem sou
De demonstrar o que sou
De saber quem serei
Acontece que hoje é um mau dia para falar
Para recordar
Para viver
Para amar…
Aconteceu hoje que me cansei de te amar
De me fazer lembrar que existes
Que me perturbas
Acontece que te deixei de amar
Te deixei de sorrir
Te deixei de fitar
Te deixei…
Te deixei…
Te deixei…

Um dia fostes
E eu sei que fostes
A minha alma gémea
Mas como todas as coisas…
Perdeste o teu encanto
E saíste do meu caminho
Atingiste-me com uma faca bem afiada
No meio de um coração já ferido
E Perdeste-te por entre a multidão
E como tudo se compõe com o tempo
Sobrevivi
Talvez tu não sejas a minha musa…
Pois por detrás da ilusão de maya
Existem vários véus…
Existem várias faces,
Eu apenas escolhi a cor errada…
E caminho lado a lado com a vida
Porque ela é pura
Os meus passos por entre os dela
Ultrapassando o tempo
Alcançam o infinito
Ultrapassando a vontade
Sigo um caminho desalinhado
Marchando de frente para a multidão de braço dado com a vida…