Algum dia pelo silêncio do tempo
Poderemos encontrar-nos
E saber existir em nós
Talvez correr pela estrada
Quem sabe estar unidos
E alcançar a sombra do infinito
Destruir a sociedade perdedora
Ou entrar na porta de um túnel desconhecido
Dançar numa qualquer corda bamba
E saborear o âmbar divino do nosso tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *