O que está para além de mim também sou eu

Encarrego-me de me entender 
Ás vezes consigo…
Outras continuo o caminho que me é dado a conhecer
Pois não sei caminhar de outra forma
O que sou para além de ser também sou eu
Por vezes escondido na minha floresta 
Não me iludo quando não me encontro 
Sei apenas que o tempo me encontra
Por vezes sóbrio e transparente 
Outras camuflado pelo véu desta existência
A noção de estar vivo expande-se com uma suave respiração 
O resto são banalidades 
Relembro para mim o grande poder que é o pensamento