Desboto-me com a noite
E com a noite fico
Pois é tão tarde e já não quero adormecer
Poiso as minhas mãos nos olhos
E permito-me chorar devagarinho
Como se nada fosse
E tudo fosse…
Pois que importa?
As almas também choram
E a minha tem cá uma coragem para fraquejar…
Mas só não quero adormecer esta noite
Nem me sentir abandonado neste ato de coragem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *